Mensagem do Presidente

Recursos financeiros e resultados consistentes estão disponíveis onde existem bons projetos, pessoas preparadas e perspectiva de geração contínua de valor. Essa diretriz de pensar e planejar em médio e longo prazos faz com que o Grupo EcoRodovias mantenha fôlego e força no atual cenário econômico do País.

Acreditando que a solidez de nosso modelo de negócio é capaz de lidar com cenários adversos e alcançar bom reconhecimento do mercado, mantivemos em 2014 nossa gestão focada em rentabilidade, eficiência e ganhos na satisfação de usuários, clientes e parceiros, com olhar de responsabilidade socioambiental, foco em ética e integridade e diálogo estreito com nossos públicos estratégicos.

No total, o Grupo EcoRodovias encerrou o ano com crescimento de 11,3% na receita líquida e, mesmo com a desaceleração do Produto Interno Bruto (PIB), registrou 20,1% de aumento anual em tráfego nas rodovias administradas. Sem considerar a ECO101, nossa mais nova concessão, também houve crescimento, da ordem de 4%. Outro indicador importante foi o Ebitda, com crescimento de 21,5% em relação ao ano anterior.

Para além dos resultados econômico-financeiros, 2014 foi também período de investimentos, como na ECO101. No total, as obras se estendem por 475,9 quilômetros da BR-101, no trecho que começa no sul da Bahia e segue até a divisa do Espírito Santo com o Rio de Janeiro, com cerca de R$ 1 bilhão em recursos nos próximos anos.

Nas demais unidades, os investimentos também resultaram em importantes entregas e projetos. Destacamos as obras de reconstrução de pontes e implantação de passarelas e ciclovia, na Ecovia; de duplicação na BR-277, da Ecocataratas; os R$ 187 milhões aprovados e incorporados ao contrato de concessão da Ecosul para recuperação e manutenção do pavimento do Polo Rodoviário de Pelotas, entre 2015 e 2026; e as obras do anel viário de Cubatão, nas faixas adicionais da rodovia Cônego Domênico Rangoni e no viaduto de acesso à rodovia Rio-Santos, na Ecovias dos Imigrantes. No Ecoporto Santos, quase R$ 100 milhões foram aplicados em equipamentos, como portêineres, RTGs e terminal tractors, que garantem produtividade e alavancam os resultados operacionais.

Outro ponto positivo do ano foi a satisfação de clientes dos segmentos rodoviário e de logística, que monitoramos permanentemente para aprimorar o nível de serviço. A média de avaliação positiva nas unidades de concessão que realizaram a pesquisa alcançou 87%, em uma demonstração clara de nossos esforços e investimentos para garantir o conforto e a segurança dos usuários dos serviços prestados pela EcoRodovias.

Entretanto, é inegável que 2014 também impôs grandes desafios à Companhia, em decorrência do cenário macroeconômico e de não termos saído vencedores nas licitações para a privatização de cinco trechos de rodovias federais e de dois dos principais aeroportos do Brasil. Outro aspecto desafiador foi a performance do Ecoporto Santos, prejudicada pelo acirramento da concorrência no complexo portuário da Baixada Santista e pelo arrefecimento da economia.

Para o futuro, planejamos contornar tais dificuldades por meio de investimentos que qualifiquem e diferenciem nossos serviços logísticos, a fim de ampliar os resultados desse segmento, e continuar apostando na combinação de concessões rodoviárias e novos negócios. Para alocar recursos em ativos rentáveis, a Companhia desenvolveu o projeto ECO 2025, por meio do qual estudos precisos irão apontar oportunidades e avaliar nossos serviços dentro das demandas atuais e futuras do mercado.

Já em 2015, a EcoRodovias pretende continuar participando de leilões de concessões rodoviárias federais, além de licitações estaduais e oportunidades de parcerias público-privadas. Conforme estimativas de consultorias, os investimentos totais em infraestrutura no País deverão atingir R$ 716,3 bilhões até 2018 – o que abre um horizonte de oportunidades para nosso setor nos próximos três anos.

A estratégia em busca de negócios robustos e longevos se associa a uma reconhecida gestão ambiental e ao trabalho permanente de monitoramento, disseminação e cumprimento de nossas diretrizes de governança, ética e conduta. Em 2014, com a nova Lei Anticorrupção brasileira, revisamos o Código de Conduta Empresarial, que já tratava desse assunto, apenas adequando-o à linguagem da lei, e impactamos 100% do público interno com treinamentos multiplataforma sobre os novos conteúdos. Outras ações de destaque foram a elaboração de uma lista de fornecedores da Companhia, para acompanhar a conduta deles no mercado, e um novo processo de avaliação da própria EcoRodovias na participação em processos de licitação, como forma de garantir a transparência, a boa governança e a melhoria contínua.

A consistência de nossa gestão não seria reconhecida da mesma maneira se ela não estivesse fortemente ligada às ações socioambientais que promovemos nas comunidades lindeiras, com foco em educação ambiental, desenvolvimento socioeconômico e cidadania. Em 2014, permanecemos pelo quarto ano consecutivo listados no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), da BM&FBovespa – um importante reconhecimento do mercado, que atesta nossos esforços para a incorporação da sustentabilidade à estratégia de negócios.

Estamos convictos de que, ao gerenciarmos nossos impactos sobre a sociedade e o meio ambiente e demonstrarmos como fazemos isso, por meio de compromissos, diretrizes corporativas e metas para as unidades de negócio, geramos valor de forma mais consistente e maximizamos nossa reputação.

Nossa preocupação com a segurança no trânsito, tema crítico do setor, reflete-se na adesão à Década de Ação pelo Trânsito Seguro, uma campanha lançada há dois anos pela Organização das Nações Unidas (ONU). O desafio é reduzir em 50% o número de ocorrências em todo o mundo até 2020. Essa iniciativa contribui para que possamos enfrentar o problema e diminuir os índices de acidentes e óbitos no Brasil. Vale destacar, sob esse aspecto, resultados como o da ECO101 – que registrou queda de 14% no número de óbitos, em comparação com 2013, quando as operações sob concessão foram iniciadas. São exemplos de como a conscientização de motoristas e a modernização das rodovias, mais do que custos financeiros, geram resultados positivos, que refletem o impacto adotado no modelo de concessão de rodovias.

Para 2015, o Grupo continua apostando na estratégia de investir em novas oportunidades, visando ser o mais rentável integrador em infraestrutura logística e contribuindo para o desenvolvimento sustentável do País. Por sinal, o ano tem um significado especial: completaremos 15 anos da formação da holding EcoRodovias. Será um ano de celebração, para além dos desafios que já esperamos enfrentar e contornar, convertendo-os em oportunidades para fortalecer nosso modelo de negócios.

Creio ser sempre importante repetir que, para a empresa ter atingido tamanho grau de credibilidade no mercado, fundamental para sua expansão, ela sempre contou com o empenho de seus mais de 6 mil colaboradores e demais stakeholders. É esse apoio que nos dá força para enfrentar as dificuldades e produzir resultados cada vez melhores.

Boa leitura!

Marcelino Rafart de Seras
Diretor-presidente